Filho doente

Filho doente angustia o coração de uma mãe. E olha que eu, graças a Deus, nunca experimentei nada mais grave, sempre problemas respiratórios, virose, coisas de criança. Sobretudo crianças que moram em São Paulo, muita poluição, tempo seco e dias frios. É começar o outono e pode dar inicio à contagem regressiva de quem vai pegar alguma coisa.

Mas uma febre que seja me tira do rumo. Às vezes, tenho a sensação de que me angustio em excesso por pequenas coisas, fico com vergonha de mim porque sei quantas lutas sérias tantas mães travam todos os dias. E eu perdendo a fome e com o coração apertado por uma febre, uma laringe detonada, uma virose que judia deles.

Outro dia desabafando com meu marido sobre isso, dizendo como fico esquisita quando eles estão meio doentinhos, ele disse que é normal, sou uma mãe que busca o bem estar da “cria”. Concordei e o fato de não ter o controle da situação é que nos deixa assim. Ou me deixa assim. A dúvida se durante a madrugada vai piorar ou não, se dá para ir à escola ou não, daí começa a comer mal e uma preocupação a mais para nossa limitada cabecinha.

Nesses momentos eu oro muito. Converso com Deus constantemente, pedindo que ele cuide. Cuide deles e de mim, que posso não estar doente fisicamente, mas de certa forma também estou mal.

E nos últimos tempos, apareceu laringite, otite (em dois ouvidos distintos, em épocas diferentes só para animar), uma gripe forte e uma faringite. Mas essa foi em mim, o que me dá vontade de chorar, porque eu odeio ficar doente quando um deles também está. Afinal, eu só queria ficar quieta no meu canto e não ter que cuidar de alguém que não fosse eu mesma. Quero ser filha e não mãe.

E assim vou administrando remédios, sintomas, carinhos, se levo ou não ao médico, oscilando entre seguir as regras ou meu coração e instinto materno. Opto sempre por seguir meu instinto materno e coração mesmo, que mesmo apertado e angustiado, torcendo para que a febre cesse, tem me guiado em decisões acertadas.

 

2 comentários sobre “Filho doente

  1. Viviane Dos Santos disse:

    Vida de mãe não é fácil. Pensamos “não vejo a hora deles se virarem sozinhos!”
    Aí qdo isso acontece você sente um vazio enorme.
    Fica aquela sensação “onde eu estava?”
    Tudo passa muito rápido, por isso, com minha segunda filha faço tudo que meu coração diz e meu instinto. Não terei mais filhos, então quero curtir ao máximo essa segunda oportunidade da maternidade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s